Traffix: Simplicidade também pode ser demais

Ss 1ae0368027e33bfdb2ccfb72454d923d033bb640.1920x1080

Traffix não busca um conceito original — jogos de controle de tráfego existem desde que a tecnologia permite sua existência — mas a desenvolvedora portuguesa Infinity Games leva esse conceito a um nível mais aparentemente profissional com gráficos clean e jogabilidade simples e efetiva. Com inspirações claras em um dos melhores indies de todos os tempos, Mini Metro, o que sobra em prazer estético acaba por faltar em inovação e diferenciação.

A primeira impressão do jogo não é muito boa. Um menu extremamente simples que não conta nem com as configurações mais básicas que se esperaria de um jogo de computador lançado em 2019 cumprimenta o jogador, e uma música genérica e sem direitos autorais, que qualquer pessoa poderia encontrar em uma breve busca na internet, e consequentemente com quase nenhuma identidade própria é a cereja nesse bolo de decepções logo de cara. Só existem duas opções: jogar ou desligar o som, e os botões para tal parecem estar em uma resolução menor do que o resto do menu. Essa falta de opções mostra um tema que está presente durante todo o jogo: a sensação de se estar jogando um jogo para celular que foi portado para o computador sem qualquer tipo de cuidado ou personalização.

Captura de Ecrã (53)

 O menu de Traffix é resultado de uma série de erros.

Leia o post completo clicando aqui.