TOP 10 Jogos de PlayStation que você Provavelmente Deixou Passar (Parte 1)

@claudia-mitre-rocco

Volfoss

Volfoss é um RPG Tático que infelizmente nunca foi lançado fora do Japão. Ele possuí um universo surreal e bizarro, com reinos distintos e bem caracterizados e diferentes facções. Sua história envolve traição, vingança e busca por poder.

Claro, é bem mais difícil zerar um jrpg em Japonês, tendo que depender de gameplays da Nicovideo e tradutores, mas nada que não valha a pena. O jogo é extremamente bonito, com gráficos completamente em 3D, com destaque ao design peculiar e bizarro dos personagens e criaturas. 


Athena: Awakening from the Ordinary Life 

Todos que conhecem a heroína de Psycho Soldiers, em grande maioria a conheceram em King of Fighters. O que muitos não sabem, é que a garota tem um jogo exclusivo de PS1, que é um Adventure de Terror. O jogo em grande parte é focado em resolver puzzles e usar os poderes psíquicos de Athena, apertando botões certos em sequência. 

O plot consiste em experiências absurdas sendo realizadas pelo governo, e isso acaba mexendo com os poderes recém descobertos da garota. O jogo também tem belos gráficos em 3D, e temos também a conhecida presença de Kensou. 


In Cold Blood 

Um Adventure de ação desconhecido do PS1, que com certeza merecia ser mais aclamado. Nesse jogo, você é um agente infiltrado na URSS em busca de um colega desaparecido; porém, depois de capturado, você precisa fugir utilizando de inteligência e armas; lutando, se escondendo, resolvendo puzzles, e descobrir quem é o traidor perto de você. 

Esse jogo, além de ter um plot maravilhoso, cheio de mistério, momentos de tensão e reviravoltas, oferece um gameplay completo e gráficos bonitos para a época.


The Note 

O primeiro Survival Horror em Primeira Pessoa da lista. O protagonista é um jornalista, que vai junto de uma mulher a uma casa estranha, pois essa está procurando uma pessoa desaparecida. Logo a casa se mostra não muito convidativa. Apesar de terem criaturas no jogo e existir combate, que depende de apenas uma arma, esse não é o foco. 

Puzzles são a parte mais desafiadora do jogo; e tudo que vemos, são através dos olhos do personagem, por isso, quando ele pisca, nós percebemos que ele o fez. Caso o personagem se machuque, ele vai fechando os olhos, ficando cada vez mais difícil de enxergar; o que com certeza foi algo inovador. 

Conversar com personagens, coletar itens e iluminar os ambientes também são ações importantes. 


Juggernaut 

Mais um Adventure de Horror em Primeira Pessoa. A namorada do protagonista desapareceu, e quando o mesmo chega a casa dela para investigar, vê a garota desmaiada, e um padre que está no local, diz que ela foi tomada por forças do mal, e que caso você “entre” na alma dela, é capaz de salvar a garota.

O jogo não tem combate, mas sua exploração e puzzles são desafiadores. Quem não curte o sistema pode facilmente se irritar com o andar do personagem e a câmera; mas para quem gosta, eu recomendo. O jogo tem boa história e cinemáticas perturbadoras.

Hellnight (Dark Messiah)

A cidade de Tokyo foi tomada por forças do mal, e a protagonista resolve se esconder nos subterrâneos da cidade, porém, ela descobre que lá existem horríveis e perigosas criaturas mutantes, que matam qualquer sobrevivente. O jogo também é em primeira pessoa, mas possui personagens 3D, um design interessante e muito diálogo. 

O jogo também não tem batalhas; caso um inimigo apareça, você deve fugir. Existem outras pessoas escondidas nos túneis, e você pode andar com um companheiro sempre. Caso seu companheiro morra, você pode encontrar outro. 


Silverload 

Faroeste já é bom, e com terror, então? Silverload é um Adventure de Terror com personagens que lembram FMV. O jogo tem um universo que mistura diversos temas ocultos, como Lobisomens, Sacrifícios Humanos, Satanismo e Líderes Religiosos malucos. Você controla um protagonista misterioso, com um passado a ser descoberto e que se interliga com os eventos do jogo. A história começa com uma família tendo o filho sequestrado depois de serem atacados por Lobisomens, e o protagonista concorda em se aventurar na cidade de Silverload e encontrar a criança. 

O jogo consiste em muitos puzzles e diálogos; alguns deles podem ser difíceis para quem não é muito acostumado com o gênero, mas nada que insistir não resolva. O jogo também tem um combate de tiro em primeira pessoa que é ótimo, fácil e só aparece nos momentos certos, onde não se torna cansativo. Os personagens também são muito bem dublados para um jogo da época. Com certeza é um maravilhoso título que deve ser conferido. 


PuLiRuLa

É um jogo de ação e plataforma estilo arcade. O visual alegre e bizarro do jogo, é com certeza seu atrativo. 

Você deve toda hora atirar em criaturinhas peculiares e enfrentar bosses mais bizarros ainda, enquanto anda pelos cenários alegres e absurdos. Pode ser jogado em dupla, melhorando ainda mais a experiência.


OverBlood 

Um Survival Horror Cyberpunk completamente 3D, com câmeras que mudam entre primeira e terceira pessoa. O protagonista acorda sem memória em um estranho laboratório, onde cientistas fazem experiências malucas. Apesar de não ter lembranças, ele quer desesperadamente fugir do local. 

Durante o jogo, você encontra companheiros interessantes, e também jogáveis, sendo que você depende deles também para avançar na história. O jogo não tem muito combate, consistindo mais em exploração e puzzles. Apesar do jogo ter alguns problemas, ele é uma pérola que tem suas inovações, e merece ser conferido. O jogo também tem uma sequência: Overblood 2, que tem algumas melhorias. 


Discworld Noir 

Um Adventure Lovecraftiano bem humorado para a lista. Você controla um detetive, que foi enviado para encontrar um homem desaparecido, porém, as coisas fogem do controle, e o detetive se vê enfiado em um bizarro caso de assassinato. Pelo caminho, você encontrará personagens peculiares e uma história interessantíssima, misteriosa e bizarra, que te prende do inicio ao fim.

O jogo consiste em sua maioria, de diálogos e exploração; onde você tem um caderno de pistas, que pode ser usado para interrogar os personagens. O protagonista também pode virar um lobisomem, e você pode alternar entre suas duas versões. O jogo é 3D em Terceira Pessoa. 

Essa foi a parte um da lista! Ainda não sei quantas partes terão, mas, acredito que três ou quatro no total. Espero que tenham curtido! O universo de jogos do PlayStation é vasto, e eu pretendo ajudá-los nessa descoberta.